O desaparecido Cais Real de Belém

March 20, 2017

A história de Belém é mais vasta que o que a densificação turística da zona hoje permite perceber. Para lá dos ícones do contributo de Portugal para a herança civilizacional mundial, como o Mosteiro dos Jerónimos ou a Torre de Belém, há muito mais para descobrir na área mais ocidental de Lisboa, desde a época em que se tornou ponto de partida e de chegada para as naus das Descobertas e da Carreira da Índia até às grandes obras da Exposição do Mundo Português.
Dia 22 de março, teremos oportunidade de conhecer algum do património desconhecido (porque já desaparecido) de Belém e da sua ancestral ligação à foz do rio Tejo. Hoje soterrado, o Real Cais de Belém foi um equipamento de primeira importância para a definição urbanística da zona, que ainda hoje permanece.

Conversa com Alexandra de Carvalho Antunes
Doutorada em Arquitectura, com a tese A Arquitectura de Veraneio do Concelho de Oeiras, 1860-1925: inventário, estado de conservação e proposta de algumas medidas de Salvaguarda, e mestre em Arte, Património e Restauro. Na atualidade, desenvolve o seu projeto de pós-doutoramento na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa (ARTIS – Instituto de História da Arte), em parceria com o GeoBioTec da Universidade de Aveiro, centrado no tema “O Cais das Colunas: memória, identidade, matéria e estado de conservação”. É autora do livro Cais da Pedra e Cais Real. Planos joaninos para a Marinha de Lisboa, recentemente editado pela Canto Redondo.

Visita guiada à exposição Jerónimos 1516
Museu de Lisboa – Palácio Pimenta
22 de Março às 18h
Entrada livre

https://www.facebook.com/museudelisboaEGEAC/photos/a.1058004367548044.1073741828.1055829087765572/1685591031456038/?type=3&theater

Tags: , ,

Deixe o seu comentário